5 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente

Compartilhe este conteúdo

Em 1972, durante a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano, em Estocolmo, a Organização das Nações Unidas (ONU) instituiu o Dia Mundial do Meio Ambiente, que passou a ser comemorado todo dia 05 de junho. Essa data, que foi escolhida para coincidir com a data de realização dessa conferência, tinha objetivo principal de chamar a atenção de todas as esferas da população para os problemas ambientais e para a importância da preservação dos recursos naturais, que até então eram considerados, por muitos, inesgotáveis.

Com o acentuado crescimento dos problemas ambientais, a proteção do meio ambiente e também dos recursos naturais precisam estar no centro das preocupações,  tanto dos governantes quanto da população e das suas organizações sociais. Dentre os principais problemas que afetam o meio ambiente, podemos destacar o descarte inadequado de lixo, a falta de coleta seletiva e de projetos de reciclagem, consumo exagerado de recursos naturais, desmatamento, uso de combustíveis fósseis, desperdício de água e esgotamento do solo.

Os Eletricitários e os Urbanitários em geral,  sabem da importância  da conservação do nosso meio ambiente e de sua responsabilidade, afinal são profissionais que trabalham diretamente com o bem mais essencial à vida, a água, seja no seu tratamento e distribuição para consumo, seja na produção de energia elétrica. São também os profissionais responsáveis pela coleta e tratamento de esgotos, o saneamento ambiental.

Portanto, as lutas diárias da categoria dos Urbanitários são, na verdade, em defesa do meio ambiente e da qualidade no acesso aos serviços nos setores de saneamento e energia a toda sociedade brasileira e toda a população mundial. Você eletricitário também faz parte destas lutas!

Luta contra a privatização do saneamento

Após conseguir a derrubada da MP 868, os urbanitários e entidades que defendem o saneamento público partem para uma nova semana de luta junto ao Congresso Nacional. Agora a batalha é contra o Projeto de Lei – PL 3189/2019 – que já tramita na Câmara dos Deputados e que, na verdade, trata-se de uma nova reedição da MP 868.

A tramitação ocorre em regime de urgência, ou seja, o PL pode ser colocado em votação ainda esta semana.

O projeto mantém a possibilidade de que, mediante acordo, o contrato de programa seja convertido em concessão, o que permite a privatização integral das estatais, caso o governador queira privatizar.

Também existem inconstitucionalidades referentes à titularidade, regionalização, regulação, normas que podem dificultar os financiamentos e fragilizar os contratos de programa, impedindo sua continuidade em alguns casos.

Os representantes das entidades estarão em Brasília durante toda essa semana no trabalho de esclarecer os parlamentares sobre o risco de se aprovar um projeto de que privatiza o saneamento e desestrutura o setor em todo o país.

A luta continua pelo saneamento público e para todos!

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *