Temer sugere privatização da Eletrobras a Bolsonaro

Compartilhe este conteúdo

Documento da equipe de transição do MDB aponta a Eletrobras como a única estatal a ser vendida

A equipe de transição do MDB, coordenada pelo presidente golpista Michel Temer, recomendou ao presidente eleito Jair Bolsonaro a privatização de uma única estatal: a Eletrobras.

Segundo matéria publicada pela Folha de São Paulo, “é o único projeto de venda de estatal mencionado diretamente no relatório Transição de Governo 2018-2019 – Informações estratégicas, preparado pela atual gestão”.

Em um capítulo exclusivo do relatório, Temer destaca os “benefícios” da privatização da maior empresa de energia elétrica da América Latina. “No curto prazo, de 2019, (a privatização) teria impactos fiscais positivos da ordem de R$ 12 bilhões a R$ 14 bilhões, segundo estimativas preliminares. No médio prazo, implica recuperar a capacidade da empresa investir no setor de energia competitivamente, diz o documento”.

O tema das privatizações tem sido uma das principais “batidas de cabeça” do presidente eleito com sua equipe. O “posto ipiranga”, Paulo Guedes, economista já anunciado como futuro ministro da fazenda em um superministério com amplos poderes, é defensor de um amplo programa de privatizações, tendo anunciado esta semana a criação de uma Secretaria de Privatizações para agilizar a venda do patrimônio Público. Durante a campanha presidencial Bolsonaro firmou que não privatizaria Eletrobras e Petrobras. Agora, já cogita vender uma parte da estatal petroleira. Nessas idas e vindas, nesta política de anúncio, erro e recuo, quando será a vez da Eletrobras?

Vale lembrar que o pior presidente da história da estatal, Pinto Jr., já anunciou que tem interesse de permanecer à frente deste processo de ataques aos trabalhadores e de privatização. O Coletivo Nacional dos Eletricitários (CNE) produziu um Dossiê com todos os motivos pelos quais Pinto Jr deve sair da presidência da Eletrobras. O material aponta fatos absurdos para quem está à frente de uma empresa estratégica para o Brasil.

Além do Dossiê, o CNE publicou uma nota de repúdio às declarações do presidente da Eletrobras. “A entrada de um novo governo em 2019 acirrou os ânimos dos privatistas patológicos que não cansam e tentar vender o sistema Eletrobras a preço de banana. Nesta campanha privatista, três alvos são claros: os trabalhadores, os sindicais e os ativos da empresa. O sr. Wilson tenta, no apagar das luzes do Governo que o colocou no poder – o governo Temeroso do Michel – dar as suas últimas cartadas para levar a companhia ao colapso”, diz o documento que pode ser lido na íntegra no site da Federação Nacional dos Urbanitários (FNU).

Em um capítulo exclusivo do relatório, Temer destaca os “benefícios” da privatização da maior empresa de energia elétrica da América Latina.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *