Sindicatos da Intercel protocolam denúncias na Alesc e no TCE

Compartilhe este conteúdo

Saindo do ato na Administração Central, os trabalhadores ocuparam a sessão da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (Alesc), onde o Deputado Fabiano da Luz (PT) cedeu o tempo de tribuna para a Intercel. Representando os trabalhadores, o Presidente do Sindinorte e jornalista da Intercel, Paulo Guilherme Horn, denunciou aos Deputados o conflito de interesse do presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins e o ataque privatista a empresa.

Horn denunciou os ataques e ameaças da diretoria aos trabalhadores e suas manifestações, expondo o vínculo trabalhista do presidente da empresa com a Engie Energia do Brasil, questionando: “Se eu mantendo vínculo é porque tenho intenção de voltar. E daí volta, com todas as informações estratégicas que vão beneficiar a concorrente em detrimento da maior estatal catarinense, que é a melhor distribuidora de energia do país.

Pior do que manter o vínculo trabalhista com a concorrente, é o fato de que ele omitiu essa do Conselho de Administração.” O dirigente sindical concluiu: “Como podemos acreditar que não tem nenhum planejamento quando os trabalhadores estão sendo ameaçados e atacados todos os dias e, apesar disso, apesar dessa diretoria, apesar desta gestão, ainda prestam um serviço de qualidade para ser a melhor distribuidora de energia do país.

Quem está de parabéns são os trabalhadores, que todos os dias estão lá, atendendo a sociedade catarinense, com qualidade, mas nós temos uma Diretoria que está dificultando os trabalhos, que está ameaçando a categoria, está atacando os direitos dos trabalhadores porque, fundamentalmente, o processo de privatização é esse”.

A denúncia foi recebida pelo Presidente da Assembleia, Julio Garcia (PSD), que manifestou-se a favor da Celesc Pública. Da tribuna, a Deputada Luciane Carminatti (PT) também defendeu a empresa, lendo os cartazes de protesto levados pelos celesquianos. “Me chamou muita atenção os cartazes. E penso que os cartazes dizem tudo que eu gostaria de dizer e tudo que os trabalhadores gostariam de dizer se tivessem este microfone”, afirmou. Estavam presentes, ainda, no plenário os deputados estaduais Rodrigo Minotto (PDT), Neodi Sareta (PT), Marlene Fengler (PSD), Valdir Cobalchini (MDB) e Ulisses Gabriel (PSD).

Ao término da sessão, os trabalhadores saíram em passeata até a sede do Tribunal de Contas do Estado (TCE) para protocolarem a denúncia ao presidente do órgão e ao Ministério Público de Contas (MPC), dando continuidade ao processo de defesa da Celesc Pública.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *