Diretor Administrativo da Eletrobras se reúne com sindicatos

Compartilhe este conteúdo

Coletivo Nacional dos Eletricitários e Intersul debatem com DA questões relativas à PLR e ACT

O Diretor Administrativo da Eletrobras (DA) esteve em reunião com o Coletivo Nacional dos Eletricitários (CNE) dia 13/09/2021, por solicitação das entidades sindicais para tratar de várias questões de interesse dos eletricitários. A Intersul esteve na reunião representada por dois dirigentes sindicais. Na pauta, temas relativos a PLR 2018 (diferenças não pagas) e PLR 2020.

Além destes dois itens, outros pontos estavam na pauta, mas o Diretor alegou necessidade de sair para “outras agendas”, ficando itens relativos ao ACT 2020-2022 como Complementação de Auxilio Doença, Suspensão da CGPAR 23, e ainda o novo Plano de Desligamento para tratar em uma nova reunião já pré-agendada para a mesma semana.

Apesar de debatidos, nos temas relacionados a PLR não houve alteração significativa em relação ao que já era do conhecimento de todos. Ou seja, o eventual pagamento das diferenças relativas à PLR 2018, fruto dos dividendos “retidos” já pagos aos acionistas, ainda depende de autorização da SEST nas palavras do Diretor.

Lembramos que os trabalhadores já autorizaram em assembleias a tomada de medidas judicias caso o pagamento não seja confirmado. Já o pagamento da PLR 2020, depende apenas da aprovação nos Conselhos de Administração das Empresas, que deve acontecer no decorrer de setembro. Os trabalhadores devem receber a PLR 2020 ainda este mês, possivelmente no dia 27.

Os temas relacionados acima, que se referente ao ACT 2020- 2022 serão tratados ainda esta semana com o DA da Eletrobras, incluindo o impasse gerado pela CGT Eletrosul na renovação do ACT Específico, uma vez que, após várias reuniões com a Intersul nas quais compareceu apenas o Assessor de Relações Trabalhistas, a posição da empresa, na avaliação das Entidades que compõem a Intersul, é um enorme retrocesso, limita e reduz direitos conquistados e estabelecidos no acordo vigente.

Os sindicatos da Intersul não aceitam a tese da CGT Eletrosul de que o ACT Específico da Eletrosul Centrais Elétricas, incorporada exauriu sua vigência ou que sua renovação não esteja compromissada e abrigada pela Clausula 10 do Termo de Compromisso Nacional, firmado por todas as Empresas e pelo CNE, por meio da Federação Nacional dos Urbanitários.

A Intersul levou até a Holding Eletrobras o impasse criado pela Diretoria da CGT Eletrosul que põe em dúvida o direcionamento das negociações firmadas entre Eletrobras e CNE que foram amplamente divulgadas nos meios internos pelas empresas e serviram de base para que a categoria aprovasse o ACT 2020-2022.

O comportamento da Diretoria da CGT Eletrosul acrescenta um nível de tensionamento nas relações entre Sindicatos e Eletrobras, que não favorece a superação das dificuldades que a empresa e os trabalhadores tem a enfrentar neste momento. Conforme já informado, o tema vai ser debatido com o DA da Holding na próxima reunião.

Os sindicatos da Intersul não aceitam a tese da CGT Eletrosul de que o ACT Específico da Eletrosul Centrais Elétricas, incorporada exauriu sua vigência ou que sua renovação não esteja compromissada e abrigada pela Clausula 10 do Termo de Compromisso Nacional, firmado por todas as Empresas e pelo CNE, por meio da Federação Nacional dos Urbanitários.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *