Cutucadas

Compartilhe este conteúdo

WC
Encaminhar solução para péssimas condições de banheiro de escritório da Celesc não deveria depender de denúncia ao sindicato, caso o gerente regional resolvesse rapidamente os problemas. Porém, em um caso específico, o administrador pede que os trabalhadores aguardem uma reforma ainda sem data para começar. Será necessário
que os sindicatos chamem a Vigilância Sanitária para a interdição do escritório? O fato está acontecendo em uma Regional cujo gerente foi elogiado recentemente por um colunista pela agilidade. Se os administradores considerados rápidos agem dessa forma, imagine os mais lentos! Como diz o bordão, “a CELESC tá lascada!”

CARTA DE RENÚNCIA IÔ IÔ
Na Diretoria da Celesc, está instituída a carta de renúncia iôiô. Se entrega o cargo num dia, mas volta atrás no dia seguinte. Parece que a reforma trabalhista não emplacou, e o medo do desemprego permanece em alta. Quem não se garante, não banca!

AFASTAR PARA QUÊ?
Dois empregados do CRCAP/Setor de Linhas, na CGT Eletrosul, trabalharam em dupla na semana de 20 a 23/12. Um deles apresentou sintomas e foi diagnosticado com Covid-19 dia 27/12, tendo seu afastamento imediato. A empresa não afastou o segundo integrante da dupla e impôs que o mesmo trabalhasse normalmente. Resultado: no dia 03/01, a dupla do empregado positivado em 27/12 também foi diagnosticado com Covid-19. Por que a empresa alterou os protocolos de afastamento de empregados contactantes com positivados?

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *