ACT específico finalmente será renovado na CGT Eletrosul

Compartilhe este conteúdo

Intersul aguarda documento formal para assinatura

Depois de várias reuniões para tentar solucionar os impasses, que impediam a assinatura do ACT Específico, pois retirava direitos dos trabalhadores, finalmente a diretoria da CGT Eletrosul apresentou na última reunião com a INTERSUL, ocorrida na sexta-feira (12/11), uma proposta final que no entendimento da Intersul cumpre minimamente o compromisso da Eletrobras de renovar os direitos e benefícios previstos nos Acordos Específicos das empresas.

Vale lembrar, que desde o final das negociações do ACT Nacional, o tema até então estava pacificado, e no entendimento da INTERSUL, restava apenas assinar o ACT específico. Infelizmente, para nossa surpresa, a diretoria da CGT Eletrosul, se valendo das alterações maléficas na legislação trabalhista promovidas pelo Governo Temer e levadas adiante pelo atual governo, convocou as entidades sindicais para apresentar a tese de que, com a incorporação da Eletrosul pela CGTEE, o acordo específico da Eletrosul, não teria mais efeito, e que, somente os termos do acordo específico da CGTEE poderiam ser renovados e aplicados para a nova empresa CGT Eletrosul.

Na sequência desta tese, em diversas reuniões realizadas, as propostas apresentadas pela Diretoria da CGT Eletrosul sempre retiravam clausulas que garantiam direitos históricos conquistados pelos trabalhadores. Essa tese, foi totalmente rechaçada pelas entidades sindicais, que acabaram levando o impasse até a ELETROBRAS, pois apenas a diretoria da CGT Eletrosul insistia em descumprir as orientações definidas em mesa de negociação para renovação do ACT específico em todas as subsidiárias.

Depois de muitos meses de impasse, várias reuniões e discussões sobre o ACT específico, na última terça-feira (16), a diretoria da CGT Eletrosul formalizou uma proposta para fechamento do ACT específico modificada, que finalmente renova todos os direitos históricos, seja por meio das cláusulas do ACT, seja por meio da inclusão em Norma Gerencial, para que os direitos adquiridos pelos trabalhadores ao longo de vários anos, não se percam.

Cabe aqui ressaltar que a postura da diretoria da CGT Eletrosul desde o início, no entendimento das entidades sindicais, teve o propósito específico de reduzir direitos dos trabalhadores, de forma lamentável, intransigente e tentando descumprir o que já estava definido em mesa de negociação nacional, num episódio triste da história da empresa.

Assembleias informativas serão feitas nos próximos dias para esclarecer aos trabalhadores sobre o processo negocial e os efeitos práticos desta renovação do ACT Específico.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *