Uma mudança problemática na Celesc

Compartilhe este conteúdo

Sempre que a Celesc faz uma mudança em uma de suas lojas de atendimento, quem mais sente o peso das reclamações e da indignação são os atendentes comerciais. É agora, na mudança da loja da Celesc do centro de Florianópolis para o Itacorubi. Foi assim, também, na mudança de outras lojas no interior do estado que se afastaram do centro das cidades por conta da economia com aluguéis.

O atendente comercial sempre sente na pele as mudanças tomadas pela direção da empresa, sejam elas positivas ou ruins. Outra queixa que chega com frequência aos sindicatos que compõem a Intercel é da falta de segurança em determinadas lojas. Clientes alterados, que chegam falando alto, com ofensas e até mesmo com violência corporal e ameaças não são casos raros.

Em municípios menores, ainda há o medo de assédio de consumidores em lojas que mulheres trabalham sozinhas. A saúde mental dos atendentes comerciais merece atenção por parte da direção da Celesc. Ouvi-los, conhecer as demandas, tem de ser uma rotina constante.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *