Risco de morte: em audiência com Mininstério Público, Intercel alerta que centralização dos CODs põe em risco a vida dos trabalhadores

Compartilhe este conteúdo

Nesta terça-feira, dia 18, os sindicatos que compõem a Intercel participaram de audiência virtual com o Procurador do Ministério Público do Trabalho (MPT), Dr. Sandro Sardá e com representantes da Celesc, para tratar da proposta da Diretoria da empresa para a Centralização dos Centros de Operação e Despacho (CODs) das Agências Regionais. Proposta no final de 2020, a centralização só não foi concretizada pela interferência dos sindicatos da Intercel, onde um grupo de trabalho foi criado.

Mesmo diante das evidentes deficiências do projeto e do risco aos trabalhadores, a Diretoria tem buscado a implementação irresponsável da centralização dos CODs. Em março de 2021, a Celesc protocolou no Ministério Público do Trabalho o projeto de Evolução do COSD, pedindo manifestação do órgão e justificando a necessidade da centralização com “o regramento imposto pelo órgão regulador, exigências do mercado consumidor e advento de novas tecnologias”.

Em resposta ao MP, os sindicatos da Intercel apontaram: “Hoje, a estrutura proposta pela Diretoria da empresa no projeto de “Evolução do COSD” não trará resultados operacionais satisfatórios, prejudicará o atendimento à sociedade catarinense e acentuará a exposição dos trabalhadores à riscos de saúde e segurança”.

A Intercel apontou, ainda, que toda a estruturação do projeto é feita com dados falsos e com a manipulação deliberada de números de documentos despachados nos CODs das regionais. Além disso, as constantes situações de risco que os trabalhadores tem vivenciado mobilizaram a categoria a realizar um abaixo-assinado manifestando a suspensão do projeto. Na audiência, os representantes da Celesc reafirmaram os argumentos falsos de que a empresa teria totais condições de implementar a centralização dos CODs.

Novamente, foi utilizada a justificativa de que a primeira etapa da centralização poderia ser iniciada sem maiores problemas e que seria uma simples adequação da Celesc às práticas de mercado. Diante do MPT, os dirigentes sindicais reforçaram que as insistentes e irresponsáveis tentativas da Diretoria da empresa e implementar uma centralização sem condições técnicas trará prejuízos ao atendimento à sociedade e, principalmente, levará à morte de trabalhadores.

Os sindicatos registraram na ATA da audiência que, levado à cabo da forma proposta pela Celesc, o projeto de centralização dos CODs levará à morte dos trabalhadores.

Diante do MPT, os dirigentes sindicais reforçaram que as insistentes e irresponsáveis tentativas da Diretoria da empresa e implementar uma centralização sem condições técnicas trará prejuízos ao atendimento à sociedade e, principalmente, levará à morte de trabalhadores.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *