Notas curtas

Compartilhe este conteúdo
  • Dia 12/03 foi o dia do Bibliotecário. Você sabia que a Celesc já teve duas bibliotecas e que atendia a trabalhadores de todo o estado? Desde o início do mandato da atual Diretoria, o DPGP tratou de encaixotar o acervo da biblioteca, que esteve por meio século disponível aos empregados, oferecendo literatura, informações a respeito do setor elétrico com material especializado, além de normas, periódicos e material produzido pelos empregados. Com a desculpa de ser um procedimento provisório devido à remodelação de setores, tal atitude se tornou permanente. Sabe-se que a cultura nunca foi prioridade do governo atual. Ao invés de modernizar o espaço, oferecendo o acervo histórico aliado a novas fontes de informação digitais, optou-se por sua extinção. Deixa a empresa de contribuir com a sociedade na área da educação, com as universidades e na formação dos profissionais através dos estágios obrigatórios e/ou remunerados. Na área jurídica, não custa lembrar, a biblioteca da Celesc teve um dos maiores e mais ricos acervos do estado. O setor contribuía na disseminação da informação como subsídio comprobatório a questões jurídicas e processos de diversas áreas da sociedade, em especial, a ambiental e criminal.
  • Trabalhadores de lojas de atendimento da Celesc na Grande Florianópolis receberam na última semana a visita do presidente Cleicio Martins. A expectativa de boa parte dos atendentes comerciais que receberam a visita é de que Cleicio se sensibilize com o tamanho das filas e as condições de trabalho que enfrentam diariamente. Numa das lojas, abarrotada de clientes indignados com a fila, o ar condicionado estava quebrado em dia que fazia um calorão de mais de 30 graus. Faltam atendentes em diversas lojas de atendimento do estado.
  • Denúncia de assédio moral feita pelo Sinergia ao Comitê de Ética da Celesc em outubro/2021 segue até hoje sem qualquer resposta ao sindicato. Em consulta ao site – por diversas vezes fora do ar nesse ínterim -, não há qualquer retorno sobre encaminhamentos. Nesta última semana, ao consultar a denúncia, a senha indicada pelo próprio site consta como senha errada. Até quando trabalhadores vítimas de assédio e sindicato aguardarão? Além das situações absurdas indicadas pelo ministro Vital do Rêgo no julgamento do processo de privatização da Eletrobras no TCU, mais um problema surge no horizonte: jornais apontam a desvalorização da NESA (Norte Energia S/A), operadora da Usina de Belo Monte, no estado do Pará. Conforme indicam as denúncias, a Eletronorte estaria buscando alguma forma contábil de reduzir efeitos da desvalorização da usina e da operação deficitária no processo de privatização. Os advogados do Coletivo Nacional dos Eletricitários seguem acompanhando o caso.
Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *