Emergência para quem?

Compartilhe este conteúdo

O ministro da Economia, Paulo Guedes, entregou ao Congresso três propostas de emenda à Constituição: a PEC do Pacto Federativo, a PEC dos Fundos Públicos e a PEC Emergencial, que tratam de tornar constitucional a drenagem de recursos públicos dos mais pobres para os mais ricos. As PECs promovem privatizações; congelamentos e redução de salários; fim da estabilidade no serviço público; fim dos gastos constitucionais mínimos com saúde e educação; proibição de concurso público e do pagamento do plano de carreira e dezenas de outros ataques.

No final, a economia vai para os deputados e senadores e para o pagamento da fraudulenta dívida pública. Tudo o que for considerado superávit vai ser usado no pagamento da dívida pública. E como você obtém superávit? Justamente estabelecendo regras que limitem os gastos públicos. O objetivo continua sendo alimentar a ciranda financeira. Isso num país em que, segundo pesquisa recente do IBGE, um quarto da população é pobre. São mais de 52 milhões de pessoas com rendimentos inferiores a R$ 420 por mês, menos da metade de um salário mínimo. Dessas, 13 milhões são extremamente pobres (renda mensal per capita inferior a R$ 145). 

Enquete a nosso favor 

A Câmara dos Deputados está fazendo uma enquete sobre a PL 5877/2019 referente à privatização da Eletrobras. Acesse em clicando aqui. No resultado parcial 95% dos entrevistados (4.363 pessoas) discordam totalmente. Apenas 3% concorda totalmente (160 pessoas). Não deixe de dar sua opinião. 

Fiasco total? 

Guedes ficou arrasado e disse que o resultado era surpreendente. “Sumiu todo mundo da sala, ficou só a Petrobras. Planejamos por cinco anos para no final vender de nós para nós mesmos”, criticou Guedes. Ele se disse “apavorado” com o fato de o leilão não ter atraído as grandes empresas do setor de petróleo e responsabilizou o regime de partilha pelo resultado do certame. Segundo a FUP o objetivo das petroleiras é acabar com o Regime de Partilha. Vem mais ataque por aí!

Auditoria

Auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) foi pedida esta semana na Câmara dos Deputados. O objetivo do requerimento é entender como a privatização da Eletrobras e suas subsidiárias vai impactar no valor que a população paga pela energia elétrica. 

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *