Celesquianos vão às urnas em 31/01 e 1º/02 para eleger seu representante no Conselho de Administração e a Diretor Comercial

Compartilhe este conteúdo

Campanha para Representante dos Empregados no Conselho de Administração e para Diretoria Comercial inicia na próxima semana

Os trabalhadores da Celesc irão, novamente, às urnas para eleger representações na administração da empresa. Divulgado pela companhia no final de 2021, após aprovação do Conselho de Administração, pela primeira vez, o processo eleitoral para escolha do Representante dos Empregados no Conselho de Administração e para Diretor Comercial serão realizados nos mesmos dias.

No dia 27 de dezembro, a Celesc divulgou aos trabalhadores os candidatos inscritos aos pleitos. Para Representante dos Empregados no Conselho de Administração houve uma inscrição: Paulo Guilherme Horn. Para a Diretoria Comercial, inscreveram-se o atual Diretor, Vitor Guimarães e o chefe da Agência Regional de Blumenau, Cláudio Varella, reeditando a disputa ocorrida na última eleição. Nesta quinta-feira, as comissões eleitorais devem divulgar os candidatos homologados. A campanha será do dia 10 ao dia 28 de janeiro, com a votação sendo realizada nos
dias 31 de janeiro e 01 de fevereiro.

A eleição para espaços representativos na empresa são conquistas dos trabalhadores e aprofundam a participação dos celesquianos na administração da companhia, bandeira antiga dos sindicatos da Intercel. Diante de uma grande renovação nos quadros da empresa, é preciso lembrar a história dos espaços representativos, dos processos eleitorais e a importância deles para a luta em defesa dos trabalhadores e da Celesc Pública.

A REPRESENTAÇÃO DOS TRABALHADORES NO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Desde a década de 80 os trabalhadores da Celesc têm eleito uma representação no Conselho de Administração. Entretanto, apenas na década de 90 que ela se transformou em uma instância de defesa da categoria e da empresa pública. Em 1994, os sindicatos da Intercel identificaram no Conselho de Administração um espaço de informações que permitiriam a organização dos empregados na luta contra a privatização e começaram a apoiar candidatos para a representação dos trabalhadores.

Desde então, todos os representantes dos empregados eleitos pelos trabalhadores tiveram apoio da Intercel e a história comprova a importância desta ligação. Em diversos momentos, a representação dos trabalhadores no Conselho de Administração, em conjunto com a Intercel, mobilizaram a categoria para impedir a privatização da Celesc.

Em um dos casos mais famosos, a atuação do então Representante dos Empregados no Conselho de Administração, Jair Maurino Fonseca, e dos sindicatos da Intercel impediu um golpe articulado entre acionistas minoritários, Governo do Estado e Lírio Parisotto para a venda da empresa. Conhecido como o “golpe do Novo Mercado”, a privatização da Celesc foi impedida após ter sido descoberta pelo Conselheiro eleito e através da ocupação por parte das entidades sindicais de uma reunião do Conselho, impedindo o golpe.

Foi a atuação forte e ligada às entidades sindicais que transformou a representação dos empregados no Conselho de Administração na mais importante instância de defesa da categoria e da Celesc Pública.

A CONQUISTA DO DIREITO DE ELEGER UM DIRETOR COMERCIAL

A eleição para Diretor Comercial foi uma conquista coletiva que mobilizou os sindicatos da Intercel e o representante dos empregados no Conselho de Administração da Celesc. O debate sobre o marco regulatório do Setor Elétrico trouxe a necessidade de implementar a desverticalização da Celesc, agora dividida em Celesc Holding, Celesc Distribuição e Celesc Geração. No debate sobre a criação de uma Lei Estadual que determinasse a nova estrutura administrativa da estatal, os sindicatos e o então Conselheiro, Arno Cugnier, conseguiram incluir uma reivindicação antiga dos trabalhadores: o direito de eleger um empregado de carreira para um cargo na Diretoria. Assim, ficou definido que seria a Diretoria Comercial da Celesc.

O direito dos trabalhadores de elegerem uma Diretoria dentro do quadro próprio já foi várias vezes ameaçada, com diferentes administrações atentando contra mandatos e contra a eleição. Para a Intercel, eleger um Diretor é fundamental para consolidar a gestão participativa na empresa, colocando os trabalhadores como protagonistas da construção de uma Celesc Pública, que tenha responsabilidade com a população catarinense e que respeite seus trabalhadores.

REPRESENTAR E LUTAR

A partir da próxima segunda-feira, dia 10, os candidatos a Representante dos Empregados no Conselho de Administração e à Diretor Comercial deverão percorrer os locais de trabalho, apresentando propostas e compromissos para a representação dos celesquianos. Conforme orientação da categoria, deliberada em Congresso dos Empregados da Celesc, a Intercel deve fazer a defesa do processo eleitoral, mas não apoiará nenhum candidato à Diretoria Comercial. Para a representação dos trabalhadores no Conselho de Administração, a Intercel continuará o trabalho realizado desde a década de 90, que transformou o mais alto órgão da administração da empresa em uma espaço
de luta e resistência dos trabalhadores e da empresa pública.

Em ambas as eleições, é fundamental a ampla participação da categoria no voto, consolidando cada vez mais os processos eleitorais. É uma grande votação que consolida as representações dos trabalhadores nos embates contra a privatização e contra aqueles que buscam retirar direitos dos celesquianos.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *