CAMPANHA DE MENTIRAS

Compartilhe este conteúdo

Como a oposição mente para os participantes

Uma campanha baseada em fake news demonstra candidatos despreparados e sem propostas para gerir benefícios que impactam na vida dos trabalhadores e de suas famílias. Pior do que a incompetência, é a tentativa de criminalizar os sindicatos da Intercel e a APCelesc, abrindo caminho para que a Celesc ataque direitos dos participantes. Nesta página, elencamos uma série de tópicos que a oposição e seus apoiadores tem utilizado nesta eleição, mentindo aos trabalhadores.

OS SINDICATOS QUEBRARAM A CELOS?

A Celos nunca chegou sequer perto de estar quebrada. Desde o início da participação dos trabalhadores na administração da Fundação, com apoio dos sindicatos da Intercel e da APCelesc, a Celos triplicou seu patrimônio, ultrapassando R$ 3 bilhões. A página 135 do livro “Entre o Passado e o Futuro”, que conta a história dos 35 anos da Celos, apresenta um cenário anterior à gestão apoiada pelos sindicatos, onde havia um enorme déficit. Em 1995 o déficit era superior a R$ 58 milhões, diante de um patrimônio de R$ 141 milhões. Foi após a reestruturação da Fundação e a possibilidade de eleger trabalhadores para administrar a Celos que a Fundação passou a crescer. Hoje, houve um aumento no volume de pagamentos de benefícios, o que comprova que a Celos continua forte. A Fundação pagou, em 2018, mais de R$ 360 milhões em benefícios.

O PREJUÍZO DO FIP/GEP É FRUTO DE ROUBO!

Não houve roubo na Celos. Auditorias externas, internas e até mesmo a Polícia Federal investigaram o assunto. Enquanto a Celesc buscou um bode expiatório para consolidar uma narrativa que incriminasse os sindicatos da Intercel, a verdade é que a gestora do FIP/GEP cometeu uma série de irregularidades, classificadas por auditoria forense, como de difícil detecção. A Celos, junto com demais cotistas do fundo, move ação judicial civil e criminal para recuperar os prejuízos. Ou seja, apesar de tentar incriminar a gestão dos sindicatos na Fundação, a verdade é que os gestores profissionais, pessoas de mercado, é que foram responsáveis pelo prejuízo.

O DÉFICIT É CULPA DE INVESTIMENTOS ERRADOS

Insistir no discurso de que o déficit nos planos previdenciários é culpa exclusiva de investimentos que deram errado só tem um motivo: tentar enganar os participantes e condenar os sindicatos. Apesar de ter impacto, o déficit se estrutura em uma série de premissas atuariais. Nelas entram ações contra a Celos, expectativa de vida, rentabilidade e inflação, entre outros. No caso do Plano Transitório, por exemplo, mesmo excluindo o resultado dos investimentos que não deram certo, haveria déficit e necessidade de equacionamento.

OS FUNDOS DARÃO AINDA MAIS PREJUÍZO

A oposição tem dito que fundos dos quais a Celos faz parte trarão novos prejuízos para a Fundação. Citam, irresponsavelmente, os fundos Claritas, Sinergia IV e Sinergia V, alardeando que juntos eles darão um prejuízo de R$ 300 milhões. Mais uma mentira! A verdade, disponível no Portal da Transparência da Celos, demonstra que a Fundação nunca investiu esse montante nesses fundos. No Claritas foi investido de cerca de R$ 47 milhões. Hoje, o fundo tem R$ 82 milhões, sendo que desde o início já foi resgatado pela Celos R$ 26 milhões. No Sinergia IV, foi investido R$ 68 milhões e resgatado R$ 77 milhões. No Sinergia V, a Celos investiu R$ 36 milhões. Hoje o fundo tem R$ 99 milhões, sendo que desde o início foi resgatado R$ 23 mihões. Nestes 3 fundos, considerando o que foi resgatado e o que ainda tem na carteira, a Celos ganhou R$ 156 milhões. Ou seja, os ganhos foram extraordinários nestes fundos, exatamente ao contrário daquilo que a oposição divulga.

A CELESC TEM NENHUMA CULPA

Aparentemente, a Celesc não existe na administração da Celos. Pelo menos é isso que querem te fazer acreditar. A verdade é que a Celesc tem participação ativa tanto na Diretoria Colegiada quanto nos Conselhos. Como patrocinadora, a Celesc indica o presidente da Fundação. Já no Conselho Deliberativo, a Celesc indica, automaticamente, metade dos membros. Além disso, o Presidente do Conselho, cujo voto pode desempatar as discussões, é eleito entre os indicados da patrocinadora. E, para finalizar, o Comitê de Investimentos sempre teve participação de um dos indicados da Celesc.

SE TEM ALGUM CULPADO, É DO SINDICATO!

A campanha de ataque aos sindicatos tem um só objetivo: retirar os trabalhadores da administração do fundo para retirar direitos. Para isso foi preciso construir uma imagem de que os sindicatos são os culpados por tudo que acontece na Celos. Se há alguma coisa pelo qual os sindicatos são culpados é pela existência da Celos. A Fundação foi criada através de uma cláusula do Acordo Coletivo de Trabalho negociada pelos sindicatos. Além disso, todos os benefícios administrados pela Celos, como Plano de Saúde e Plano Previdenciário, são fruto da luta dos trabalhadores.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *