Poema aos miseráveis

Compartilhe este conteúdo

Passos passam pelas calçadas
do centro da cidade.
Nas calçadas também jazem
os desajustados,
os miseráveis, os marginais,
enrolados em trapos, em papelões
ou sacos de plástico.
Chamam-lhes de vagabundos,
bêbados, preguiçosos.
Quem saberá de suas histórias
em um país assolado, esfolado
e carcomido pela crise?
Quem saberá de suas histórias
em um país no qual a justiça social
é um conceito abstrato?


Autora: Francine Canto
@francine.canto

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *