Avanço: trabalhadores obtêm vitória na luta contra a privatização da Eletrobras

Compartilhe este conteúdo

A segunda etapa do julgamento do processo de privatização da Eletrobras no Tribunal de Contas da União (TCU) aconteceu na quarta-feira da semana passada, dia 20 de abril. Trabalhadores da CGT Eletrosul, em Florianópolis, e o Coletivo Nacional dos Eletricitários (CNE), em Brasília, fizeram atos cobrando dos Ministros do TCU uma atuação firme no processo, fiscalizando as irregularidades apontadas nas denúncias. O Ministro Vital do Rêgo pediu vistas de 20 dias para analisar com mais calma o relatório final e, com isso, atrapalhou a meta do governo de concluir o processo de privatização da empresa até o dia 13 de maio.

O governo Bolsonaro precisará recalcular prazos e o valor da ação para o possível dia da operação e a privatização fica um pouco mais difícil de ocorrer – mas não impossível. De acordo com Carlos Alberto de Souza, dirigente do Sinergia, “as mobilizações de trabalhadores foram muito importantes e há uma vitória parcial da categoria com esse adiamento, já que havia expectativa de que o Pleno do TCU concedesse vistas de apenas 7 dias, o que não adiaria muito e o governo poderia acelerar o processo para conseguir vender as ações até o dia 13 de maio. Com 20 dias de adiamento, o governo perdeu a janela de oportunidade de vender as ações até o dia 13 de maio e, caso o TCU aprove, o processo deverá ser concluído somente pelo mês de junho ou julho, ficando muito próximo do debate eleitoral. Precisamos continuar atentos e vigilantes”.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *