Movimento dos Atingidos por Barragens completa 30 anos de lutas

Compartilhe este conteúdo

Ato Solene na ALESC comemorou o aniversário

O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) completa 30 anos em 2021. Nascido na década de 1980, por meio de experiências de organização local e regional, enfrentando ameaças e agressões sofridas na implantação de projetos de hidrelétricas. Hoje, além de fazer a luta pelos direitos dos atingidos e atingidas, reivindica um Projeto Energético Popular para mudar pela raiz todas as estruturas injustas desta sociedade.

O MAB é uma organização fruto de um longo trabalho de construção coletiva e se define como um movimento de caráter nacional, autônomo, de massa, de luta, com rostos regionais, sem distinção de cor da pele, gênero, orientação sexual, religião, partido político ou grau de instrução. Se constitui como uma organização com participação e protagonismo coletivo em todos os níveis, com objetivo de organizar os atingidos pela construção, ameaça de construção ou rompimento de barragens.

Nesta trajetória, muitas conquistas se concretizaram a partir da luta e organização, como os direitos de reparação para os atingidos, reassentamentos coletivos, programas para produção de alimentos saudáveis e produção de energia alternativa. A prática dos atingidos e atingidas que se movimentam com o MAB é orientada por princípios e valores que encontram na pedagogia do exemplo e na solidariedade entre os povos a melhor forma de convencimento, em uma luta que se alimenta do profundo sentimento de amor ao povo e amor à vida.

Na noite de 04 de outubro a Assembleia Legislativa de Santa Catarina promoveu um ato solene em homenagem aos 30 anos do MAB. A deputada Luciane Carminatti (PT), proponente do evento, destacou que, entre as conquistas da entidade, “destacam-se direitos de reparação para os atingidos, reassentamentos coletivos, programas para produção de alimentos saudáveis e produção de energia alternativa”.

Os dirigentes do Sinergia Carlos Alberto de Souza e Mário Jorge Maia participaram do ato.

Vida longa ao MAB!

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *